PORTOBELLO ONDINA PRAIA

Atrações da Cidade

Salvador está entre as capitais brasileiras mais importantes por sua relação histórica com a criação do país. Fundado em 1549, o município foi a primeira capital e hoje é um dos destinos mais visitados por turistas. As principais companhias que visitam o Brasil incluem a capital da Bahia em seus roteiros. É o caso dos pacotes para as festas de fim de ano, onde Salvador é uma opção para celebrar o Ano Novo, e no Carnaval, quando a cidade é só festa.

O que não falta em Salvador são lugares para conhecer. O novo e o antigo estão em harmonia na cidade e proporcionam ao turista um verdadeiro leque de opções. O PORTOBELLO ONDINA PRAIA está localizado próximo no bairro de Ondina, no centro do circuito de carnaval mais badalado do Brasil – CIRCUITO BARRA – ONDINA, pertinho do Farol da Barra, Zoológico, do bairro boêmio do Rio Vermelho; do centro histórico e do Shopping Barra, o maior centro comercial da cidade.

1080 _ 1080_CARNAVAL

Circuito Dodô/Barra Ondina

O PORTOBELLO está localizado no famoso circuito Dodô/Barra Ondina, em frente ao Camarote Planeta Band. Com um percurso de aproximadamente 4,5 km, o circuito Dodô/Barra Ondina liga as praias da Barra e Ondina. O visual das praias atrai milhares de foliões. O circuito dura aproximadamente 5 horas e conta com os grandes camarotes do Carnaval e famosas atrações como Chiclete com Banana, Claudia Leitte, Ivete Sangalo, Tomate, Daniela Mercury, Banda Eva, entre outros. Os famosos arrastões, que marcam o encerramento da folia, também são realizados no percurso. Como surgiu após o Circuito Campo Grande, é considerado novo e representa qualidade em relação à estrutura, programação e organização. Com camarotes badalados, shows entre a passagem dos trios e blocos, buffet, acesso privado à praia e blocos uniformizados, o Circuito Barra Ondina/Dodô é para muitos o principal circuito do carnaval de Salvador. 

 

Pelourinho

Poucos lugares são tão emblemáticos em Salvador como o Pelourinho. No Centro Histórico da capital baiana e parte do Patrimônio Histórico da ONU, ele chama atenção por suas casas em estilo colonial barroco português. A denominação remonta a época da escravidão, o pelourinho era o nome dado a coluna de pedra que ficava no centro das praças para castigar os escravos.

Farol da Barra

O Farol da Barra, também conhecido como Farol de Santo Antônio, é um dos principais cartões-postais de Salvador, e além da beleza externa, também dá acesso ao museu náutico. A torre de 22 metros de altura foi construída no século XVII e guiava as embarcações que chegavam à cidade que já foi um dos principais portos da América do Sul.

 

CASA DO RIO VERMELHO

Casa do Rio Vermelho

O memorial Casa do Rio Vermelho, que tem objetos e lembranças da vida dos escritores Jorge Amado e Zélia Gattai, passou a ter entrada gratuita às quartas-feiras. Conforme Maria João, neta do casal e uma das responsáveis pelo local, a medida é por tempo indeterminado. O memorial funciona no imóvel onde Jorge e Zélia viveram por cerca de 40 anos. A visitação na quarta-feira segue no mesmo horário dos outros dias da semana, das 10h às 17h. 

O local está aberto para o público de terça a domingo e a entrada custa R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). A compra é feita no local. Crianças com idade até 5 anos não pagam.

Elevador Lacerda

O Elevador Lacerda é um dos atrativos turísticos mais procurados de Salvador, apesar de ter uma utilidade de fato para a população. O primeiro elevador urbano do mundo leva os moradores da parte baixa da cidade para a parte alta. A atração fica por conta da bela vista a partir dele.

Mercado Modelo

Localizado na cidade baixa, o Mercado Modelo é o mais tradicional centro de artesanato do país. Nele mais de 260 lojas vendem produtos típicos da Bahia, além de contar com restaurantes e bares. O prédio é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Construído em 1861, foi a terceira alfândega de Salvador. O local também recebe diversas ações artísticas e culturais.

Lagoa do Abaeté

A Lagoa de Abaeté fica a 10 quilômetros do centro da cidade, mas é um ponto muito conhecido. Nela o turista encontra águas calmas, areias brancas e coqueiros para relaxar. A lagoa faz parte de uma área de preservação.

Igreja do Senhor do Bonfim

Famosa no Brasil inteiro, a igreja ficou conhecida graças as fitinhas do Senhor do Bonfim e a lavagem de suas escadarias feita anualmente. Esse monumento cultural de arquitetura neoclássica e fachada rococó, foi erguido entre 1745 e 1754 com o objetivo de abrigar a imagem do Senhor Bom Jesus do Bonfim, trazida de Lisboa. O Papa Pio XI elevou a igreja à Basílica em 1927.

Forte de Monte Serrat

Construído primeiro como um pequeno forte entre 1538 e 1587, foi reformado em 1602 para ter maior poder defensivo. Era conhecido como Fortaleza de São Felipe, até ter seu nome alterado no século XIX. É um bonito ponto turístico que carrega muita história, pois foi ocupado em 1638 pelos holandeses, e abrigou o príncipe Maurício de Nassau. O forte abriga o Museu das Armas.

Ponta do Humaitá

Próxima ao Forte de Monte Serrat, a Ponta do Humaitá é conhecida pela vista panorâmica da Baía de Todos os Santos e da cidade, além de ser um dos melhores locais para observar o por do sol. A arquitetura do torno é marcada por casas construídas no século XIX, assim com a presença de um farol do início do século passado, de mosteiro e da Igreja de Monte Serrat.

Baía de Todos os Santos

A maior baía do Brasil foi avistada em 1º de novembro de 1501 na expedição de Américo Vespúcio, e batizada devido a data, onde se celebra o Dia de Todos os Santos. Na descrição de Américo Vespúcio, o local era uma grande e bela baía, e até hoje chama atenção de quem visita Salvador pela primeira vez. Nela se encontram águas calmas e claras, além de Mata Atlântica, vastos manguezais, restingas e recifes de corais.

Praia da Ribeira

Um dos locais mais charmosos e boêmios de Salvador, a Praia da Ribeira é banhada pela Baía de Todos os Santos e possui uma bela vista dos casarões coloniais e de suas ilhas. O local é um dos mais frequentados por velejadores na cidade, devido a suas águas calmas, motivo pelo qual antigamente foi uma conhecida aldeia de pescadores.

Arena Fonte Nova

Complexo Esportivo Cultural Octávio Mangabeira (nome oficial) ou Itaipava Arena Fonte Nova é um estádio de futebol localizado em Salvador no mesmo local do antigo Estádio Octávio Mangabeira.

Sediou a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014. A arena tem capacidade para 50 mil pessoas em três níveis de arquibancadas com assentos cobertos, camarotes, restaurante panorâmico com vista para o estádio e para o Dique do Tororó, e cerca de duas mil e quinhentas vagas de estacionamento. Sua estrutura abriga também sala de imprensa, quiosques, elevadores, sanitários e um centro de negócios que funcionará independentemente dos jogos. Além de partidas de futebol, a Arena Fonte Nova sedia grandes eventos como shows musicais de artistas de renome nacional e internacional, congressos e encontros de negócios.

Dique do Tororó

O Dique do Tororó é o único manancial natural da cidade de Salvador, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, comumente reduzido para Dique, que possui uma lagoa de 110 mil metros cúbicos de água. É delimitada, atualmente, pelo bairro do Tororó em sua margem esquerda, pelo do Engenho Velho de Brotas em sua margem direita, ao Norte, pelo estádio Itaipava Arena Fonte Nova e, ao Sul, pelo bairro do Garcia. É margeado pelas Avenidas Presidente Costa e Silva, e Vasco da Gama – que, ao Sul, convergem para a Avenida Centenário e o Vale dos Barris. Uma de suas principais características são as oito esculturas de orixás flutuando no espelho d’água do Dique do Tororó assinadas pelo artista plástico Tati Moreno, que são: Oxum, Ogum, Oxóssi, Xangô, Oxalá, Iemanjá, Nanã e Iansã, conferindo à noite uma bela iluminação cénica. O termo “tororó” vem do termo tupi Tororoma, que significa “jorro” (de água).

O Acarajé

O Acarajé é uma especialidade gastronômica da culinária afro-brasileira feita de massa de feijão-fradinho, cebola e sal, frita em azeite de dendê. O acarajé pode ser servido com pimenta, camarão seco, vatapá e caruru (todos estes, também pratos típicos da culinária da África e cozinha da Bahia).

Fonte: Secretaria de Turismo de Salvador / Divulgação